Com amor e palavras não ditas


Desde que eu vi, em um trailer aleatório no facebook, uma sequência de cenas em que pessoas se assumem heterossexuais (isso mesmo, eu não digitei errado), eu sabia que esse filme eu não podia perder.

“Com Amor, Simon” (em inglês “Love, Simon”) conta a história de um adolescente de 17 anos que tem bons amigos, bons pais, uma irmã que vive fazendo receitas inesperadas e, como diria ele mesmo, um segredo gigante. Simon insiste em repetir desde o primeiro minuto que é um adolescente normal, como qualquer um dos amigos dele, como eu e, provavelmente, como você que está lendo também. Mas a verdade é que, depois de ver o filme, não consigo ver Simon como nada menos que extraordinário. E nem digo isso pelo seu segredo.

Mais uma temporada de Prison Break?



Quando a quinta temporada de Prison Break foi confirmada, eu surtei. Fiquei tão empolgada e ansiosa que só conseguia pensar no quanto seria bom imergir em mais alguns intensos episódios de uma das mais envolventes séries que já vi. A espera para os fãs foi longa, mas, finalmente, após 8 anos poderíamos desfrutar de mais um pouco da saga dos irmãos Michael Scofield e Lincoln Burrows em busca pela liberdade.  

O improvável sucesso de Guerra Infinita


Guerra Infinita não deveria existir.

Não que eu seja contra a existência do filme - inclusive, pretendo vê-lo de novo. Mas acho que no meio de todo esse zeitgeist cultural em torno de filmes de super-heróis, é fácil esquecer que esse tipo de eventos crossover - seja os Vingadores, a Liga da Justiça ou simplesmente a mescla de heróis que permeiam o Universo Cinemático da Marvel - eram simplesmente impensáveis.

Acredite, ela está voltando



Resultado de imagem para 7 a 1 torcida

Algumas pessoas dizem por aí que quem faz o outro sofrer não merece uma segunda chance. Agora imagina se esse sofrimento fosse 7 sete vezes maior e perdurasse por 4 anos? E pra piorar, se o problema em questão envolvesse mais ou menos 200 milhões de pessoas, todas iludidas por uma falsa promessa de conquista épica? A lógica diria que não, mas elas fatalmente irão perdoar. 

Alguns livros que levo para a vida



Minha relação com a leitura anda complicada: de devoradora de livros a uma mera leitora infrequente. Há livros sem ler nas prateleiras e na cabeceira da cama. A dificuldade em conciliar com as listas de séries tem me feito deixá-los um pouco de lado, mas não completamente.  Há dias em que olho para cima e lá os vejo: coloridos, diversos, me convidando para entrar nesse mundo mágico em que já ri muito, me debulhei em lágrimas e também aprendi bastante.

O dia em que conversei com o tempo




O dia em que conversei com o tempo não foi nada sobrenatural. Não tive nenhuma espécie de epifania e muito menos fui confrontada por alguma entidade que controla a passagem das horas. Na verdade, eu tive uma conversa com o tempo quando resolvi começar a assistir a uma série.

Mas, e se?



Dentre os vários significados da palavra “se”, há um que mais chama atenção, pois o usamos quase o tempo todo. Se: conjunção subordinativa condicional ─ possui um sentido de condição, hipótese. No entanto, não é preciso saber o que é uma conjunção subordinativa para entender o sentimento por trás disso tudo.

Vinte e um



fotos perdidas, fotos rasgadas
todo tipo de documento, folhas avulsas e escritas
memórias com calor e carinho
perfeitamente passadas e dobradas

A grama do vizinho é realmente mais verde?







Seja no almoço em família, na reunião do trabalho ou no happy hour com os amigos, todos nós já escutamos a famosa expressão: ‘’A grama do vizinho é sempre mais verde’’.  Mas, na realidade, sabemos utilizá-la e, principalmente, interpretá-la de acordo com o seu real significado?

Quem tem medo do desconhecido?



Recentemente, li um livro bem diferente dos que eu estava acostumada a ter em minha prateleira, uma obra classificada como terror psicológico.

Como nunca fui muito fã do gênero thriller em séries ou filmes por achar que as narrativas giravam em torno apenas de violência e coisas do tipo, pensei que na literatura seria a mesma coisa. Mas, então, por uma indicação bastante positiva, resolvi arriscar e comecei a ler Caixa de Pássaros e já adianto que, para minha surpresa, foi um dos mais envolventes que já li.

Ao novo amor

Dia desses fui pega de surpresa com o sucesso estrondoso de um vídeo da Jout Jout. Não que isso não aconteça de tempos em tempos, afinal ela costuma ser bem relevante, mas dessa vez o tema me surpreendeu, de verdade. Em poucas palavras: amor, me disseram que o tema era o amor.