Incertezas etárias



Deixo tudo assim, não me importo em ver a idade em mim. Os anos que se 
passaram foram lições e me sinto orgulhosa da força que descobri ter. Ouço o que
convém, o que dizem sobre mim e o que inventam sobre os outros não me interessa
mais, já estou velha e o que digo, penso e faço não se encaixa na expressão da
juventude. Eu gosto é do gasto.

Clássicos na praça, UFMG 90 anos


Na noite de terça feira, dia 13 de julho, a orquestra filarmônica de Minas Gerais realizou uma apresentação gratuita no gramado da Reitoria da UFMG. A orquestra regida por Marcos Arakaki e Fábio Mechetti tinha o objetivo de abrir as comemorações dos 90 anos da universidade, com arte e cultura.

Contando com 90 músicos, a apresentação reuniu uma plateia diversa e atenta que não se restringiu às cadeiras organizas a frente do palco; sentaram-se sobre o gramado ou assistiam das janelas do prédio da Reitoria. Todos os olhares estavam voltados ao que acontecia no palco. “Nada melhor que a arte para nos ajudar e inspirar”, a frase dita pelo regente no início da apresentação sintetizou os acontecimentos da noite.

Reitor, salve meu filho!


Belo Horizonte, 19 de Junho de 2017
Caro Excelentíssimo, digníssimo, meritíssimo, ilustríssimo, caríssimo, magnânimo senhor Reitor,
Venho por meio desta comunicar o senhor a respeito de minha aguda insatisfação em relação ao absurdo indecente que está ocorrendo nesta instituição que o senhor se intitula responsável.
Meu filhinho primogênito, herdeiro da família, nosso prodígio lutou muito para passar no vestibular, passou noites em claro, debruçado nos livros, fazendo cursinho por 3 anos! Era o sonho da família que ele conseguisse estudar nessa dita UFMG, que a gente pensava que era a melhor universidade do Brasil. Mal sabia que meu pesadelo começaria aí.