Minha persona, melhor personagem

A delícia de matar alguém no video-game é algo que não se consegue equiparar. Sim, fui uma criança violentíssima, pegava os jogos de luta todos e saía testando personagem por personagem até achar o melhor. O melhor golpe com chute, o melhor golpe com soco, o melhor golpe com pegada (quando agarram o outro personagem e jogam no chão com todo o estilo), o melhor combo, o melhor especial, o melhor superespecial, o melhor megaespecial (ou então simplesmente olhar pra alguém e ir tanto com a cara dela que fica impossível não escolhê-la todas as vezes). Era para isso que eu vivia. Matar todos na minha frente e chegar no chefão. Gente, mas que metáfora melancólica e sombria pra vida!
Então foi isso que decidi fazer. Lembrar um pouco algus jogos de lutinha que eu adorava e escolher os três melhores homens e as três melhores mulheres de cada um deles. Para não ficar uma postagem desgastante, vou falar mais dos personagens escolhido em Mortal Kombat e Street Fighter (esse último sem o "plus"). Contudo, outros jogos e personagens também estão listados (apenas por imagem e nome). Se você tiver a oportunidade, por favor, jogue com todos os characters desse post. Trívia: se você conhece todos os personagens do post, é possível perceber meu suposto fetiche por pernas.

Outra

Uma menina. Personagem de si mesma. Ri quando queria chorar, concorda discordando, fala calando. Se embola tanto na outra, que acaba sendo. Desconhece tanto a si, que acaba se arrependendo. Ao escolher ser a outra, define a si mesma e falando calada, esperava ser ouvida. Esperava ser vista, esperava ser considerada. Desconsiderando -se

Tece, entrelaça, nasce...


Personagem 

Teu nome é quase indiferente 
e nem teu rosto mais me inquieta. 
A arte de amar é exactamente 
a de se ser poeta. 

Para pensar em ti, me basta 
o próprio amor que por ti sinto: 
és a ideia, serena e casta, 
nutrida do enigma do instinto. 

O lugar da tua presença 
é um deserto, entre variedades: 
mas nesse deserto é que pensa 
o olhar de todas as saudades. 

Meus sonhos viajam rumos tristes 
e, no seu profundo universo, 
tu, sem forma e sem nome, existes, 
silêncio, obscuro, disperso. 

Teu corpo, e teu rosto, e teu nome, 
teu coração, tua existência, 
tudo - o espaço evita e consome: 
e eu só conheço a tua ausência. 

Eu só conheço o que não vejo. 
E, nesse abismo do meu sonho, 
alheia a todo outro desejo, 
me decomponho e recomponho
                                               
                                                Cecília Meireles

Ela pega um livro. Quer inspiração. Escrever sobre o quê? Sobre si mesma? Sobre sua nada apaixonante história de vida? Sobre o próprio ato em questão? Não. Ela escreve o que dói, o que quer sentir. O motivo? Por obrigação. Por não vivenciar seus sonhos. Ela cria personagens, tece e entrelaça a nova criatura. Concebida de amor, ideias e suspiros. Falta algo. Uma pitada de segredo. Que tal criar pseudônimos? Ah, como ela é tola. Ninguém quer ver seus devaneios, ninguém precisa sentir seu sofrimento. Ela cai na real. Há duas opções: o lixo ou o fundo da gaveta. Ela escolhe a primeira. Ninguém nunca saberá que ela existiu.

You can't always get what you want

Brincar de ser quem não é.
Fingir.
Esconder-se embaixo de três camadas de roupas.
Pintar os olhos, os lábios, as bochechas. Alterar o tom de voz.
Abrir um frágil sorriso.

"Sim, obrigado, tudo bem".
"Não, não foi nada".

E continuar sempre sendo apenas uma coadjuvante de sua própria existência.

Amigos ocultos

E se a sua TV (ou o seu HD repleto de séries) resolvesse organizar um grande amigo oculto para estimular a confraternização entre as diferentes séries? Foi isso que aconteceu aqui no Sem Pauta, em um festival de referências digno de trazer felicidade até mesmo a Abed e Troy. Essa é só a primeira edição do amigo oculto, é claro. Afinal, Carrie Mathison ainda está esperando sua caneta verde, Walter White ainda espera um novo trailer e Homer Simpson... ah, Homer ficaria feliz com uma Duff gelada. E se você reconhecer todas as séries... é você que merece um presente, viu!




Dr. Paul Weston
(In treatment)

Meu amigo oculto: Ele apresenta tendências psicopatas, com certeza. Está em tratamento a seis temporadas, mas não observo muito avanço. Continua com variações bruscas de humor, episódios repentinos de violência e relacionamento distante com sua mulher e filhos. Provavelmente, se ele se aprofundasse mais na relação que ele tem com sua família... não aquela "família", mas a família de verdade.

Presente: sessões gratuitas de terapia.

Devaneio de realidade

Falar sobre si é sempre meio difícil. Há sempre que se ponderar que a forma como nos vemos é diferente da forma como somos vistos, talvez por que nem sempre conseguimos alcançar o ideal que projetamos pra nós mesmos. Além disso, há sempre pessoas que criam para elas ou para os outros uma realidade mais favorável à sua preferência. Há sempre os que criam, recriam, transformam e mudam com tamanha naturalidade que nunca se chega a duvidar as mil formas em que se apresentam. O tema dessa semana é personagem, cada qual imaginado por um certo alguém para um certo momento - para suprir uma falta ou necessidade de ficção que é sempre presente no mundo real.

Evidenciação

Parabéns, Sem Pauta! Esses são os votos de alguns membros da Cria, que tanto te querem bem!

"O Sem Pauta está na minha barra de favoritos, mas eu raramente lembro de acessar e ler. É para isso que existe o facebook. Quando que alguém compartilha seu post, eu fico super interessada, leio e aproveito para ler os posts atrasados, que ,às vezes, são muitos. Porém, o tempo passa e eu esqueço de novo de acessar o blog, até que um amigo divulgue seu texto no facebook e eu volte a ler o blog entusiasmada com os ótimos textos dos meus colegas. É um ciclo sem fim... Eu vou, mas sempre volto."   Dayanne Campos

"Bom, confesso que leio pouco o sem pauta,mas quando leio sempre me divirto e me deixo levar pela leitura envolvente.Os temas são sempre diversificados  e também sempre interessantes.Acho que merecia uma divulgação maior dos próprios membros do blog.Tem tudo para crescer ainda mais." Karina Carvalho

"Escutava dr.john em seu "locked down", e de repente me peguei pensando sobre a intimidade das letras  e o quanto da sua vida estava ali nas musicas, e do psicodelismo insurgente veio a lembrança do Sem Pauta como um foguete caindo a um quilometro e meio por segundo, em linhas que correm paralelas, tangentes e perpendiculares.
Aquele blog é ambiente prolífico, e os gritos que atravessam o céu já ressoam longe demais porque provavelmente é aquele imensurável intervalo onde o que importa realmente não é nem o fim, nem o começo, mas justamente o meio. Sem Pauta porém é mais que meio, é o meteoro zumbindo audaciosamente através do campo da racional ponderação, ora gritando suas introspecções verborrágicas ora refletindo o pensamento insano. a música acabou deixando na tela uma imagem única.com inúmeras impressões. provavelmente um close. Coloquei o repeat." Johnathan Ferreira


Lembrando de quem importa

Sexta feira passada foi aniversário do Sem Pauta. Essa semana, os seus admiradores vieram lhe dar os parabéns, sejam eles atuais ou ex-membros da Cria.

A imagem é do Pedro Pinho, ex-membro da criação. Pra mostrar que sempre lembramos do que é importante, estando ou não inserido no nosso dia-a-dia. 


Quando a vida dá errado

Aquele sábado a toa em que você se arrasta pela casa o dia inteiro, em busca de algo relativamente produtivo a ser feito. Você já tinha combinado, no meio da semana, de sair com aquela sua amiga que namora e some pela vida afora pra aparecer de vez em quando e dizer que está com saudade. Por coincidência, esses fins de semana de nostalgia ocorrem sempre quando o amado está ocupado e você já tem aquela festinha do curso, para a qual você já comprou ingresso há um mês.

Mas nesse sábado não, a agenda está aberta e tudo indica que a noite será de amigável badalação com a adorável amiga sumida. Aí você a contata no facebook: ignorado. Liga pro celular da fofa: não atende. Manda mensagem pra digníssima: não responde. E você em casa, vagando pela vida, assistindo seriado.

Duas horas depois a bonita te liga. Desculpa, desculpa, tava na casa do benzinho. Tô morta, estudei a semana inteira. Tava na casa da minha tia. Tenho festa de família, mas semana que vem...

E lá vai você, sabadão, em casa, vendo novela das oito com sua mãe. Isso que é vida.

De ponta cabeça


Já pensou se tudo o que você conhecesse virasse ao contrário? Imagina acender um vento para cozinhar uma batatinha. Essa semana o Sem Pauta virou do avesso e trocou as bolas. Cuidado: o que você vê não é o que parece!De ponta

Tentei te ligar.

Tem sempre alguém que costuma dizer que não cria um Flickr por não ter uma câmera fotográfica "profissional". E quem disse que é realmente necessário ter uma? O "Me liga que eu te fotografo" tem mandado muito bem só com fotos tiradas com um Nokia C3. Ficou curioso? Dá uma olhada: http://www.flickr.com/photos/meligaqueeutefotografo/


A propósito, eu liguei, mas você não atendeu haha