Sexo: musicalmente falando.

E o tema dessa semana é... SEXO! Nos próximos dias, é isso que você verá aqui. Ulalá!

Muito se fala sobre o funk carioca. Uma das principais críticas a esse estilo é, como diz minha tia Gertrudes, "a letra pornográfica e sem-vergonha". E ainda completa com um "O meu filhinho não ouve isso não, ele tem pudor. Ele ouve uns raps em inglês, umas coisas assim, mais decentes". Prá não chocar a família conservadora, abaixo a cabeça, respiro fundo e mudo o assunto.

Afinal, com o perdão da palavra, isso é uma puta hipocrisia. Sem entrar na discussão sobre o valor social das músicas de funk, sobre a banalização - ou não - do prazer, da inferiorização - ou não, again - da mulher e por aí vai, atenho-me ao que se escuta em vez de se ouvir um bom pancadão.

Há o preconceito quanto ao funk, pois ele só fala de sexo. Mas e quanto a esses rappers americanos, cujas músicas são tão "pesadas" quanto? Quer um exemplo? Candy Shop, do 50 Cent, ou Sexual Eruption, do Snoop Dog. Vai reclamar deles, titia! Mas, não, o problema está todo no funk, aqueles pervertidos. Enquanto isso o Joãozinho não pode ouvir funk, mas usa todos os palavrões possíveis e imagináveis enquanto canta 20 segundos de um rap qualquer. Mas aí pode, porque é em inglês.

Tia Gertrudes, famílias conservadoras, Brasil: vamos deixar de frescurite e se jogar no funk! E daí se só fala de sexo? Como é que você acha que nasceu?



P.S.: mentira, minha tia nunca criticou o funk comigo e minha família não é conservadora - eu acho -, mas já ouvi outras tias, em famílias conservadoras, fazendo o comentário que abre o texto.

As trilhas sonoras do esporte

“Bola na trave não altera o placar. Bola na área sem ninguém pra cabecear. Bola na cabeça pra fazer o gol. Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?”. Que atire a primeira pedra quem nunca ouviu essa música como trilha de alguma coisa relacionada a futebol. Ou melhor, que atire a primeira pedra quem não ouviu essa música pelo menos setenta vezes relacionada a isso.

É aí que eu paro e me pergunto: onde raios a criatividade das pessoas que editam esses vídeos está? Por que as pessoas que escolhem a trilha sonora para um esporte nunca têm criatividade suficiente para colocar uma que nunca foi usada?

Qual a primeira música que vem na sua cabeça quando se fala em Boxe? Aposto que é a música que foi imortalizada pelo Rocky Balboa e usada sem moderação pelos editores pelo mundo. Qual o estilo musical símbolo do futebol? Pagode, lógico. Aliás, você já viu algum jogador que não gostasse de batucar um pandeiro? Eu já. E ele foi meio injustiçado por isso...

O pior é ter que ouvir o tema da vitória do Ayrton Senna toda vez que outro brasileiro vence na F1. Vamos combinar que isso é o cúmulo da falta de vergonha na cara. A música ficou mega famosa por causa das vitórias do Senna. Aí o cara morre e eles começam a usar esse símbolo para qualquer um. Aposto que se o Cristiano da Mata tivesse ganhado alguma prova, colocariam a música pra ele. Preguiça desse povo...

Sugiro que nas próximas vezes usem músicas non sense para fazer isso. Queria ouvir um Slipknot em uma apresentação de ginástica, um sertanejo durante uma partida de basquete ou mesmo um tango numa partida de futebol (que não envolva a Argentina, lógico). Se não for possível, favor apenas trocar o disco e escolher músicas diferentes da próxima vez... grato pela atenção dispensada!

O esporte da vida

Esportes. Estamos tão acostumados com eles que é difícil perceber o quanto são únicos. Se você pensar bem, o homem é o único animal que pratica esportes. Sabe, por praticar. Se um animal se engaja em uma atividade, ele tem um objetivo em mente (acassalar, comer e afins). O homem não. Na maior parte, o esporte só é explicado pelo nosso desejo de competir e ser melhor que o próximo. Outros beneficios quase que vêm de quebra.

E, se definirmos esportes como uma atividade guiada pela competição, a gama de práticas conhecidas (futebol, vôlei, natação) se amplia para outras não consideradas esportes, mas que possuem o mesmo tipo de princípio.

Como nossa querida Amanda bem citou no post dela, muitas vezes as mulheres se produzem e competem entre si pela atenção dos homens. Isso é um esporte, então. Com os homens não é diferente: O processo que começa com 5 homens encarando a mesma mulher e só um indo para casa com ela pode ser considerado um esporte. E dos mais exigentes, diga-se de passagem.

O trabalho pode ser um esporte. Se você está sempre tentando se destacar, mostrando quão especial você é com vista em algum benefício laboral, você está praticando um esporte. E com riscos bem mais altos do que, digamos, perder uma pelada de fim de semana (ou o McLuhan, cof cof).

A arte, para alguns tão longe do esporte, muitas vezes pode ser isso mesmo. Que digam DaVinci e Michaelangelo, que rivalizaram a vida entera no campo da pintura e escultura. Ou Modigliani e Picasso, sempre enfrentando um ao outro até pelas mesmas mulheres. Tão esporte quanto uma partida Brasil e Argentina.

Talvez o esporte se diferencie pelo fato de que, quando acaba, sua vida continua igual? Ou seja, dá o último minuto, você sai do campo e tudo continua como antes, certo? Não. Ledo engano. Diga isso para um Ronaldo ou um Kaká e eles vão rir na sua cara. Ganhar o perder nos esportes, hoje, faz toda a diferença.

Portanto se você não pratica atividade físicas, não se sinta mal. Você ainda pratica esportes.

ser mulher: um esporte cansativo!!!

Vamos ser racionais e parar pra pensar, como dá trabalho ser mulher!!!
Hoje estava assistindo àquele programa acho que da GNT, que faz transformações de beleza, mas não é aquele que são duas mulheres, é um gay e uma mulher britânicos. Anyway. Uma mulher relaxadíssima e feliz foi introduzida no mundo dos cosméticos, das roupas, sapatos e dos cabelereiros... lógico que ela ficou muito mais bonita e foi pedida em casamento pelo seu namorado!



Todas nós gostamos de nos sentir bonitas, desejadas, invejadas, cheirosas e gostosas!
Mas que isso dá trabalho, nossa senhora se dá!!!

Tem dias que acordamos com vontade de ser princesa, tomamos um banho demorado, lavamos os cabelos, usamos secador e quem sabe uma chapinha. Não ousamos sair de óculos e colocamos lente de contato. Passamos uma maquiagem tomando cuidado pra ninguém perceber! Nos massegeamos todas com um creme bem cheiroso e passamos mil espirradas de perfume francês por cima... Escolhemos uma roupa linda, um sapato lindo e tomamos cuidado até em escolher a bolsa. Usamos acessórios! Sim, tomamos um tempo para escolher brincos, pulseiras, colares, até uma tornozeleira...
E saímos, lindas e maravilhosas encantando ao passar, chamando a atenção e atraindo olhares! A gente nem tem fome nesse dia... tudo é tão lindo, somos tão felizes...



Como nem tudo é perfeito, também temos mau humor! Temos dias de ódio a tudo o que quer dizer se cuidar! Saimos de casa com cabelo oleoso, oculos fundo de garrafa, com uma calça de moleton e uma blusa "fui à Bahia e lembrei de você". Chinelão havaiana, unhas enormes e sem fazer. As pernas, parecem um macaquinho de tantos pêlos... O desodorante e a pasta de dente já são produtos de beleza suficientes por um dia só. Você pega uma sacola de plástico e sai pra fazer o que tem que fazer, louca pra voltar pra casa e deitar na cama até nao poder mais. Esse dia, ai de quem se aproximar, o mau humor nos faz rugir como leões famintos, e como sabemos que não estamos bem, não queremos que ninguém venha fazer-nos lembrar disso mais uma vez!



E o porquê disso é...?
QUE SOMOS UMAS SANTAS!!!! Homens, vocês não sabem o que é depilar com cera quente! O que é não poder usar uma roupa simplesmente pegando no cabide, temos que experimentar várias e ver qual que serve para o seu corpo naquele dia. Acordar com o cabelo naqueles dias em que não há raio que o conserte. Espinhas horrendas aparecendo nas costas, busto e rosto. Sapatos que fazem bolhas e amassam o dedinho mindinho. Roupas que merecem atenção integral, para nâo aparecer uma calcinha quando sentar com a perna um pouquinho aberta ou então ter seu sutiã exibido quando você pega um lápis que caiu no chão.
É realmente cansativo acordar e pensar em tudo isso antes mesmo de sentar pra tomar café da manhã. Porque homem nenhum gosta de mulher assim. E mulher nenhuma gosta de mulher assim. Como não queremos virar hermitões, vivendo sozinhas no alto da montanha temos que passar por esse martírio, e gastar cifrões e cifrões para manter nossa aparência de mulher....
Porque ser mulher cansa...
Pra C#&@**$

Os esportes de Vanderlei



Vanderlei é o filho caçula de uma família de classe média média. Antes de Vanderlei, a cegonha já tinha trazido para a família três meninos fortes e agitados.

Vando, o mais velho, sempre orgulhou a família por ser o melhor jogador do time de futebol. Valmir, o segundo, seguiu os passos do irmão mais velho, sendo o melhor em sua categoria. Valter, o terceiro, era o melhor nadador da sua turma! Já estava até sendo sondado para nadar pelo Minas Tênis Clube, lá na cidade grande.

Perto de um time desses, Vanderlei não era nada e não podia decepcionar. Aos cinco anos ingressou nas aulinhas de futebol, e depois da segunda aula, quando quebrou a perna, abandonou definitivamente o esporte. Dois anos mais tarde, tentou a natação de seu irmão Valter e descobriu que o problema que tinha no pulmão o impedia de nadar como os coleguinhas.

Quando completou 10 anos entrou para o time de vôlei graças a Marina, a garota nova da sala que ele estava de olho. Porém sua carreira não durou muito. No segundo mês, quando Vanderlei foi rebaixado para o time feminino por não jogar direito, seu orgulho falou mais alto obrigando o garoto a abandonar o esporte.

Nos próximos anos de sua vida, Vanderlei tentou basquete, atletismo, caratê, tae-kwon-do, capoeira, ciclismo, tênis, ping-pong, peteca, damas e xadrez e, depois de passar 15 dias em cada um, descobriu que não fora feito para os esportes. Desencanou e foi participar do coral da faculdade. No coral ele fez vários amigos, começou a freqüentar as festas mais badaladas da cidade e finalmente conheceu o esporte para o qual fora feito: o esporte fino!

Esbanjando elegância em todas as festas, Vanderlei não tardou a conhecer uma jovem milionária, por quem se apaixonou e está casado até hoje. E hoje, a família inteira de Vanderlei se orgulha de seu esporte: um conversível vermelho onde ele desfila aos domingos pela cidade, com sua bela esposa e um garotinho de 2 anos pulando no colo da mãe!

Esportes - Uma alternativa.

Ah, o sedentarismo. Quem, em sua sã consciência, prefere gastar horas e horas de sua vida em um lugar cheio de gente suada, se matando de correr, correr e correr sem sair do lugar? Não faz sentido algum.

Ao invés de se exercitar, você pode praticar esportes muuuuuuuito mais divertidos:

- leia um livro. Palavras, palavras, e mais palavras. Faz bem para a mente, desenvolve seu intelecto e você ainda viaja por histórias maravilhosas. Meu esporte favorito.
Sugestão de site: Shelfari.

- coma. Levantamento de garfo, o esporte favorito dos gordinhos, pode ser bem bacana. Aprenda a cozinhar, use alimentos frescos e saudáveis... Quem sabe você não perde aqueles quilinhos que estavam sobrando? Comer bem não engora, e pode emagrecer. É só saber dosar e escolher a comida.
Sugestão de site: Aprenda a fazer Cupcakes.

- assista a um bom filme. Listas de melhores filmes não faltam. Escolha um e mergulhe em um mundo completamente diferente por uma hora ou duas, sem esforço algum. Perca-se nos figurinos, cenários, maquiagens e, claro, nos enredos das mais variadas películas.
Sugestão de site: Trecho do vídeo Tumitinhas.

- papeie. Jogue conversa fora. Seja por msn, telefone ou cara a cara. E algum ser humano normal vive sem outros a sua volta? Fale sobre tudo, e sobre nada, desde que os temas sejam divertidos.
Sugestão de site: Bate-Papo UOL.

- compre. E tem melhor terapia? Compre ao vivo, compre pela internet, ou pelo telefone. Compre roupas, livros, revistas, toy arts, maquiagens, enfim, adquira algo que vá te deixar feliz. É o presente que você quer, na hora que você quer, do jeito que você quer. E alguém aí não gosta de ganhar presentes?
Sugestão de site: Coquelux - só prá quem tem o convite, bem.

Esses são apenas alguns esportes alternativos. Existem outros, que podem te deixar tão feliz quanto. Descubra o seu e se jogue!

Política, das postagens

O que um blog precisa para conseguir ficar no ar sendo um sucesso de público? Quais os segredos dos grandes blogueiros para fidelizar ser leitores? Bem, como pessoa experiente no assunto [/ironia], eu estou aqui para falar de uma das coisas mais importantes em qualquer conteúdo online: as postagens.

Qualquer site que se preze tem que manter uma rotina de atualizações frequente. Não tem nada mais broxante que entrar em seu blog favorito e ver que você já leu tudo que estava ali. Na verdade, tudo se baseia em um contrato acertado com o leitor.

Só para situar, eu sou leitor de vários blogs. Eu sei, por exemplo, que o Haznos recebe diversas atualizações durante um mesmo dia, assim como o Kibe Loco. Já o Gordo Nerd tem atualizações praticamente diárias, porém pode desaparecer por alguns dias. Mas o Bichinhos de jardim, por exemplo, tem atualizações que variam com o humor da Clarinha Gomes.

É tudo combinado com o leitor, não tem escapatória. Um blog altamente inconstante não consegue fidelizar seus leitores. Passar por ele um dia e não ver atualizações é aceitável. Mas passar vários dias sem ter nada novo é altamente preocupante. A não ser que seu conteúdo seja extremamente interessante que faça com que os leitores continuem acessando o blog mesmo assim. Mas são poucos que conseguem fazer isso...

Mas pra que eu tô falando tudo isso mesmo? Ah sim, só pra falar que o Sem Pauta agora tem postagens diárias. Agora os (2) leitores desse blog podem ficar felizes, pois estarão sempre na companhia de uma turminha da pesada que apronta muitas confusões tentando se tornar jornalistas.

A política do segredo

Se tem uma coisa que todos adoramos, é um segredo. Não importa como, onde ou quando você esteja, a frase "tenho algo pra te contar" melhora nosso dia instantâneamente. Sentimos aquele calafrio nas costas; nossos pêlos eriçam de emoção.

Claro que o melhor da festa é esperar por ela. O suspense, a expectativa, tornam o momento da revelação uma prioridade impreterível em nossas vidas. Mas quando chega... ouvir o dito-cujo lhe tira a graça. Pode ser a fofoca mais quente, mas quando a ouvimos, já não tem mais mistério. Já sabemos. A não ser que... planejarmos contar para alguém, ora bolas!

Não importa quanto você prometa, jure, se comprometa a levar para o tûmulo e condene sua alma ao inferno caso contrário, você vai contar para alguém. Ao escutar "mas você não pode contar para ninguém, viu?", nós, de alguma maneira, interpretamos "você não pode contar para tudo mundo, mas um ou dois que você confia pode, viu?". Porque, se bem nós não estamos seguindo o preceito, confiamos piamente que Fulano ou Siclana são confiáveis e eles sim não vão contar para ninguém.

Portanto, nenhum segredo é segredo. O ato de contar um segredo é um círculo vicioso interminável onde mais importante que não contar para ninguém é fingir que não está sabendo (mesmo que saiba e isso torne tudo mais divertido). As frases "eu não sei de nada" e "não fui eu que contei, juro" são suas melhores aliadas na hora que a m***a atingir o ventilador. Ou seja, quando alguém chegar para o contador original, e provávelmente o sujeito do segredo, e contar tudo, acompanhando de um ingênuo "mas não conta que fui eu que contei, tá?". Ah, coitado. Isso não vai ficar em segredo. Todos vão saber que você foi o dedo-duro.

Porque segredo se retroalimenta. O segredo pode ser um fato, ou o fato de que alguém já está sabendo, ou de que esse alguém contou para outro, ou de que o sujeito original brigou com o alguém, e com o outro, que acabarma bringando entre si. Tudo pode ser segredo. Mas nada o é.

Portanto, antes de lançar uma informação no complicado mundo do sigilo, lembre: Ele vai voltar para você. E, de quebra, bem pior do que saiu. É a complicada política do segredo.

Política, do emagrecimento!



Toda mulher nunca vai falar: estou no meu peso ideal! Todas elas, mesmo diante dos mais sinceros eleogios sempre retrucam: "Ah, mas minha barriga está enorme!", "Preciso perder uns 2kgs", "estou uma leitoa"... e por aí vai.
Por que será que as mulheres brigam tanto com a balança? E não sabem dizer: chega! Estou satisfeita!

Fato é que as mulheres precisam se sentir bonitas e desejadas, por isso buscam cada vez mais a perfeição. Existem aquelas que dizem: "não não, não faço dietas! meu marido me ama do jeito que eu sou e sou feliz gordinha" Bullshit! Nunca isso será uma verdade, por dentro estão todas se corroendo querendo ser igual às gostosonas que estão na TV ou nas revistas quase sem roupas.















Tem aquelas obcecadas, que acreditam que secando serão lindas! Mas acabam virando esqueletos ambulantes e recebendo olhares de pena, e não de desejo.

















As mulheres não fazem dietas para os homens. Assim como nunca se vestiram para eles. Nosso desejo é agradar/provocar as OUTRAS mulheres, mostrando como podemos ser bonitas, sexys e han! MELHORES que elas... Não é?
Homens não reparam em celulites, pneuzinhos, estrias... as mulheres sim! As mulheres enxergam de longe as imperfeições daquelas do mesmo sexo, e lançam olhares maléficos fazendo com que as pobrezinhas corram para o espelho pensar qual será a melhor forma de serem perfeitas.






O negócio é que o peso mexe com a auto-estima. Se você estiver com a sua no lugar, não vai virar uma louca de babar vivendo em função do seu corpo. Apenas vai se cuidar para além de ter saúde, conseguir se olhar no espelho e gostar do que vê. Sair pra fazer compras e entrar naquele vestido que gostou. Ou não ficar igual uma porca suada depois de subir três lances de escada!

Não adianta falar que não quer emagrecer! Se você for mulher, você sempre vai querer, buscando a perfeição.
O negócio é: converse consigo mesma e chegue à conclusão do que é ser perfeita no seu entendimento, e aí as coisas ficam muito mais fáceis e menos sofridas!


Política, um mal necessário?

A partir de hoje o Sem Pauta passará por algumas transformações! Os posts passam a ser diários e o blog terá um tema semanal! Cada um de nós falará do tema da maneira que bem entender, como já é de costume por aqui!

E o tema da semana é... POLÍTICA!


(imagem retirada de http://prettyfreakjesper.deviantart.com/)




Para algumas pessoas o mundo se divide em duas categorias: as pessoas que gostam de política e as que não gostam. Este texto é dirigido para a segunda e, caso você faça parte da primeira categoria e vá amaldiçoar até meus tataranetos, pode parar de ler por aqui e ler algum blog de política de sua preferência.

Outro dia estava conversando com um amigo que é advogado e trabalha com comércio exterior. Estava me contando que é falcatrua encima de falcatrua. Por exemplo: se a empresa x se recusa a pagar propina para a empresa y, esta barra os produtos da empresa x na alfândega pelo maior tempo possível, só pra ela aprender como funciona o esquema e tomar um baita prejuízo. E onde é que vão parar as pessoas honestas? Estas, nas palavras do meu amigo (que sim, é muito politizado), só se f*dem.

Nos últimos tempos temos visto escândalos políticos virem a tona diariamente através dos telejornais. E a pergunta que eu lhes faço é a seguinte: alguém tem a esperança de que a política mundial seja justa, honesta e fofa enquanto ainda estivermos vivos? Eu particularmente duvido que isto aconteça e, mesmo acreditando que seja possível que UM DIA tenhamos um cenário político mais limpo, prefiro me manter a política fora da minha vida.

O conselho que eu daria para as pessoas que querem ser felizes na vida é o seguinte: vivam suas vidas, paguem mais impostos (propinas, se necessário), trabalhem mais, façam o que for, mas vivam tão as margens da política quanto possam. Eu comparo com o serviço de delivery de comida: você paga mais caro pra que entreguem a comida na sua casa, mas é muito mais confortável.

O meu discurso pode parecer pessimista ou negativo, o que eu estou longe de ser, mas tem uma coisa que aprendi com Carlos Drummond de Andrade que jamais esquecerei: quando ouver uma pedra grande pelo caminho, não tente destruí-la aos chutes, pois quebrará seus dedos do pé. Simplesmente dê a volta na pedra e continue seu caminho com a mesma leveza de sempre e tudo dará certo. Mas uma coisa é importante: nunca deixe de fazer o melhor possível, pois como diz o dito popular, a esperança é a última que morre.

Iraque 2.0

Não sei se já mencionei isto antes, mas eu assino duas revistas americanas, GQ e Wired. Recomendo as duas. Juntas, não por separado. Elas conseguem um balanço entre conhecimento e entretenimento que não escapa o banal, mas ei, ninguém lê revista pra filosofar sobre a vida.

Hoje, já chegando no final da Wired, comecei a ler uma reportagem sobre um grupo de executivos do Silicon Valley (o vale da tecnologia nos EUA, onde estão algumas das maiores companhias do ramo) que fez uma visita ao Iraque. Era um grupo misto: Representantes do Twitter, Meetup, AT&T e, claro, Google (eram três: do Google em si, do YouTube e mais outro que não lembro de onde era). Sua missão: Trabalhar junto ao governo do país para ajuda-lo a se recompor. Não eram essas as palavras que a revista usava, mas em fim, era o objetivo da visita.

Não preciso dizer que meu primeiro pensamento foi “como?”. Em um país que, segundo a mesma reportagem, banda larga é um luxo e os mais ricos sempre tem mais de um celular porque as linhas vivem caindo (se uma cai, usam a outra), de que adianta ter twitter? Aliás, mesmo se tivessem uma ótima fiação e cobertura, qual seria o tweet do dia: “Dois carros bombas explodiram ontem aqui perto. A parede do meu quarto rachou um pouco. Mas acho que agüenta mais algumas explosões”? (pode parecer exagero de minha parte, mas a reportagem terminava com os executivos sendo levados embora porque havia ameaças de um carro bomba por perto que, de fato, explodiu algumas horas depois).

Na mente dos executivos de Silicon Valley, e, aparentemente, de grande parte do mundo, um país com YouTube e Facebook não precisa de comida e infra-estrutura. Claro que avanços tecnológicos são importantes, mas isso quando o básico está assegurado. E, em Iraque, o básico não está assegurado. O pior é que, na verdade, a idéia da visita partiu de políticos iraquianos, não dos americanos em si. Eles não pareceram entender que o progresso é uma escada, não dá para pular para o último degrau sem ter passado pelos outros. Inclusive culturalmente, o país não está preparado para a internet e suas maravilhas (ou pragas, dependendo de que lado se olha).
Talvez o problema seja a importância que se atribui a coisas que não são tão importantes. Acho que um país consegue viver sem MySpace muito bem. É só olhar para alguns anos – não décadas, anos – atrás. Não existia. Por que alguém priorizaria a chegada de sites de relacionamento e informação a um país que não só não tem internet direito, como também não tem saúde a alimentação garantidas? Não é minha intenção depreciar o Iraque, mas não se pode negar que as condições pós-invasão estão muito abaixo do ideal. E meu ceticismo me diz que não são posts de 140 caracteres que vão tornar o Iraque um país de primeiro mundo. O Brasil tem e ainda está muito longe.

Enfim, pode não ter ficado claro: Os iraquianos tem todo o direito do mundo de surfar a internet e se conectar uns com os outros. Sejam felizes. Os seus políticos é que não tem o direito de colocar a internet por cima de outras necessidade bem mais básicas. E talvez não seja culpa deles, senão do resto do mundo que celebra a “revolução digital” sem esquecer tudo ao que ela está atrelada.

P.S.: Eu sei que, ao postar este texto, estou fazendo parte daquilo que pareço estar criticando. Só gostaria de lembrar meu leitores que eu tenho comida, saúde e educação plenas. Coisas que, mesmo assim, continuam no topo de minha lista de prioridades.

ética na profissão

Outro dia me peguei pensando sobre a relação dos famosos com os paparazzi, me perguntando se era normal o tamanho horror que esses tem em relação a esses profissionais da mídia.
Cheguei a conclusão de que realmente os famosos têm razão em sentir o pânico e a raiva dessas pessoas e às vezes, sentem menos do que teriam direito de sentir.
Com a indústria da noticia (se é que posso chamar assim), muitos veículos de comunicação – não todos – se preocupam muito mais com a tiragem do que com a repercussão do que estão notificando. Sendo assim, uma foto de um famoso é interpretada de uma maneira que venderá mais, sem levar em consideração o estrago que pode estar fazendo na vida do sujeito em questão.
Pessoas viram notícia e muitas vezes não sabem porquê até ler a matéria a seu respeito, descobrindo coisas que eles nem mesmo sabiam. Eu ficaria furiosa!
Do mesmo modo, esses profissionais desqualificam as pessoas por pequenos deslizes, transformando sua carreira em um verdadeiro fracasso. Dois exemplos: o Guga ao fim de sua carreira, com todos os problemas ósseos na sua bacia, só era lembrado por não ser mais o nº 1 do mundo. Tudo bem, é uma verdade, mas há várias maneiras de se dizer uma mesma coisa. Ninguém é o melhor o tempo todo e nem por isso as pessoas merecem ser julgadas da maneira que são por certos veículos, colocando a situação como sendo falta de trabalho ou falta de vontade por parte dos sujeitos.
Um segundo exemplo é o caso do casal de japoneses paulistas que tinha uma creche na cidade de São Paulo e foi vítima de um mal entendido. Uma criança inventou para os pais que a professora a teria bolinado e o caso foi parar na justiça. A casa dos dois foi apedrejada e eles recebiam ofensas de todos quando andavam pela rua. Tudo isso porque a mídia divulgou o caso como se fosse verdade, não deixando clara a segunda opção: que eles poderiam ser inocentes. Aconteceu que foi descoberto que a criança havia mentido e que eles, sim, eram todos inocentes. Foi publicado o resultado, mas não com a mesma repercussão das primeiras matérias. Os dois já tinham sofrido diversas humilhações por conta da abordagem das notícias.
Nós como profissionais dessa área vamos passar por esse dilema muitas vezes, entre a ética e a venda do nosso trabalho. Até quando o dinheiro vale mais? Até quando podemos inventar e falar coisas sobre as pessoas para que os veículos que representamos sejam bem sucedidos? Interpretar uma história de uma maneira prejudicial aos envolvidos? Cabe a nós julgar com a educação que recebemos em casa e com a nossa consciência se temos o direito de expor em âmbito municipal, regional, nacional que seja, nossos mais vis sentimentos. Porque liberdade de expressão não é sinônimo de poder falar o que se quer pra quem quer que seja. Uma liberdade termina aonde a outra começa.

Desenhos da minha vida - Parte V

Último dia de postagens da série “Desenhos da minha vida”. Já falei sobre quatro desenhos fantásticos e vou deixar de fora muitos outros desenhos importantes na minha vida. Só para falar alguns deles: Cavaleiros do Zodíaco, Dragon Ball, Ursinhos Carinhosos, Smurfs, Family Guy, Padrinhos Mágicos, Pink e Cérebro. Enfim, o último desenho não é nenhum desses, mas nem por isso OS SIMPSONS deixará de ser marcante.

Para início de conversa, os Simpsons começaram no mesmo ano que eu nasci. Mentira, tudo começou em 1987, com tirinhas no Programa “The Tracey Ullman Show”. Mas foi em 1989 (ano do meu nascimento) que ele se tornou uma série animada, com um especial de natal chamado “Prêmio de Natal”.

E naquela época uma das características mais marcantes do desenho nem estava tão presente: a crítica à sociedade americana. Eu assisti à primeira temporada inteira e nem achei isso tão marcante. Está lá, lógico, mas de uma maneira mais discreta. Mas com o passar do tempo essa crítica foi uma das coisas que mais me atraiu no desenho.

Isso tudo só é possível pela genialidade dos personagens. Não precisa nem ficar falando demais deles, mas um desenho que tem Marge, Maggie, Lisa, Bart, Millhouse, Krusty, Moe e principalmente Homer só pode ser sucesso na certa. Aliás, o Homer é famoso por suas frases de efeito usadas no momento certo.

“A culpa é minha e eu coloco em quem eu quiser”, “Eu não estava mentindo, estava escrevendo ficção com a boca”, “Tentar é o primeiro passo para o fracasso” e “Eu tenho 3 filhos e nenhum dinheiro. Queria ter nenhum filho e 3 dinheiros”. Tem como não amar?

Recentemente o desenho teve um up muito grande por causa de um filme. Em meio a tantos filmes 3D, um filme ousou ser feio e continuou em 2D. E Os Simpsons – O Filme não perde em nada para a série original. Além de todos os personagens mais tradicionais, um porco conseguiu roubar a cena. Porco-aranha ou Harry Porco, tanto faz. O importante é que a participação dele foi simplesmente fantástica.



Mas uma das melhores partes do desenho era a abertura. Cada episódio tinha uma animação diferente. As frases do Bart mudavam a cada episódio, assim como a chegada da família Simpson no sofá. Recentemente foi lançada uma nova abertura para comemorar a chegada dos Simpsons em HD. Praticamente todos os personagens aparecem nela...



Acaba aqui a série de desenhos no Sem Pauta. Qualquer dia eu volto para falar sobre qualquer outra coisa. Afinal, isso é sem pauta, ora bolas!

Acompanhe a série completa: Desenhos da minha vida - Parte I, Desenhos da minha vida - Parte II, Desenhos da minha vida - Parte III e Desenhos da minha vida - Parte IV

Desenhos da minha vida - Parte IV

Vamos parar para pensar um pouco. Os dois últimos desenhos forma Bob esponja e Doug Funnie. O que os dois têm em comum? A imaginação desenfreada, lógico. E para completar a tríade imaginativa, ninguém melhor que entrar no FANTÁSTICO MUNDO DE BOBBY.

O desenho foi criado pelo ator e comediante Howie Mandel, em 8 de setembro de 1990, sendo produzido até 23 de fevereiro de 1998. Para as pessoas que não lembra quem é Howie Mandel, basta se lembrar do desenho. O pai do Bobby era uma versão desenhada do criador. E aquele humano bizarríssimo que aparecia na abertura e no final dos episódios era o próprio Howie.

Mas porque eu tô falando tanto dele? Porque Howie é a alma do programa. Tudo é visto a partir do ponto de vista do Bobby, mas o personagem nada mais é que o alter ego do autor. Ou seja, aquele menininho cabeçudo e com um pezão nada mais é que outra face de Howie.

Mas vamos ao Bobby, porque é ele que realmente importa. As características mais legais dele e que davam um charme especial ao desenho era a capacidade dele de levar tudo ao pé da letra. E com isso a imaginação dele ia longe. Usando um exemplo idiota: se alguém falasse “pé de página” com ele, tenha certeza que começaria uma cena de um livro sapateando na cabeça dele...

E a família do Bobby também era ótima. Já falei do Howie, que era o pai, mas também tinha a mãe, Martha Generic, e os irmãos mais velhos: Kelly, de 14 anos, e Derek, de 10. Sem se esquecer do Tio Ted, que era o melhor tio da história dos desenhos animados, sem dúvida nenhuma.

Mas os mais legais eram dois personagens que não eram humanos. Roger era o cachorro do Bobby e fazia jus à denominação de melhor amigo do homem. Ele faz parte da categoria de cachorros que roubam a cena, como o Pluto, o cachorro dos Anjinhos e o Floquinho.

O outro personagem era a aranha de pelúcia. Do mesmo jeito que o Linus, do Charlie Brown, não soltava seu paninho, Bobby nunca se separava dessa aranha. E era ela que o acompanhava em todas as aventuras no mundo da imaginação. Eu tenho pânico mortal de aranhas, mas até queria ter uma de pelúcia igual ao Webbly...

Nada melhor para finalizar o post que a abertura do desenho. Aliás, a música dela é uma das melhores de todos os tempos!



Acompanhe a série completa: Desenhos da minha vida - Parte I, Desenhos da minha vida - Parte II, Desenhos da minha vida - Parte III e Desenhos da minha vida - Parte V

Desenhos da minha vida - Parte III

Dando continuidade à série “Desenhos da minha vida”, vou falar um pouco sobre um desenho relativamente recente. Se todo mundo reclama que só existiam desenhos bons quando a gente era criança, BOB ESPONJA veio para provar o contrário.

Se no último post eu falei de um dos primeiros desenhos da Nickelodeon, hoje eu volto pra falar sobre um dos maiores sucessos da emissora. Bob esponja Calça Quadrada foi criado em 1999, por Stephen Hillenburg. Ou seja, neste ano o desenho está completando dez anos em exibição.

Mas o que o faz ter tanto sucesso e ter me marcado tanto? Simples, ele é completamente idiota. Idiota em um sentido bom da palavra. Bob Esponja é a Esponja do mar mais otimista e de bem com a vida de toda a Fenda do Bikini e o melhor fazedor de hambúrguer de siri de todo o fundo do mar. O modo como ele encara tudo é simplesmente hilário.

Quando ele junta com seu melhor amigo, Patrick Estrela, é pedir para dar risadas. A imaginação dos dois é algo impressionante, só comparável a de outro Bob (alguém ainda se lembra do Fantástico Mundo de Bob?). Eles se vestem de super-heróis, se divertem com uma caixa, fingem que são um casal para tomar conta de uma ostra...


Junte a isso personagens como Lula Molusco, Senhor Sirigueijo, Gary, Sandy Bochechas, Plâncton, Senhorita Poof... é, meu sonho é ter um Box com todas as temporadas do desenho, mesmo que eu já tenha assistido todos pelo menos 70 vezes. É tipo Chaves, eu sempre me divirto assistindo e acho que isso vai continuar por muito tempo!

E agora um vídeo/montagem da música Just lose it, do Eminem, com cenas do Bob Esponja. É muito bem feito, vale a pena assistir...



Acompanhe a série completa: Desenhos da minha vida - Parte I, Desenhos da minha vida - Parte II, Desenhos da minha vida - Parte IV e Desenhos da minha vida - Parte V

Bate asas inspiração!

O que? O que? (/maisa)

Acordou sem inspiração? Então dê uma voltinha por esses sites e deixe que ela volte voando pela janela, com suas asas multicoloridas e seu canto magestral!

Google Arts

Nesses dois sites você nem precisa saber o que está em busca. Obras de artistas de todo o mundo aparecem de modo random numa compilação de melhores trabalhos. É uma embriaguez de sucesso!

http://ffffound.com/

http://weheartit.com/


Tokidoki

Tokidoki é a arte de um designer italiano que já conquistou o mundo. Seguindo a tendência Yaoi (onde tudo é fofo e tem rostinhos) seus produtos vão desde toy arts de vinil até roupas de baixo femininas.

http://www.tokidoki.it/


Indeepop

Um novo mundo de psicodelia e nonsense onde nada faz muito sentido, mas sabe-se que há felicidade em tudo e em todos, além de beleza e “coolzisse!”. Só pela entrada do site já da pra sentir o que vem por aí! One of my favorites ever!

http://www.indeepop.com/


Guy McKinley

Achar uma definição para suas meninas-esqueleto segurando fofamente um passarinho cantador em uma mão, e um facão em outra não é a coisa mais fácil.

http://guymckinley.blogspot.com/



Johan Potma

Johan Potma cria um mundo de bichinhos estranhos e simpáticos nas mais diversas situações usando técnicas inovadoras, como colagem em madeira misturada com pintura a óleo. Tem uma estética vintage que se mecla com seu estilo cartoon.

http://www.johanpotma.com/


Matt Sewell

Matt Sewell é um ilustrador que tem como tema principal a natureza. Usa as cores de maneira incrível criando um ambiente de sonhos e infantilidade. Seus pássaros são os mais bonitinhos.

http://mattsewell.co.uk/


Bue The Warrior
Grafiteiro da Bélgica que tansforma as cidades pelo mundo em lugares melhores pra se viver. Os predios ganham sorrisos e as ruas ganham Bichos!

http://www.fotolog.com.br/buethewarrior


Pum Pum

Grafiteira argentina que faz a menina mal humorada mais simpática da america latina!

www.flickr.com/pum_pum/


Osgemeos

E para fechar, deixo todos com Osgemeos, uma dupla de grafiteiros brasileiros que faz sucesso no mundo inteiro. Não é difícil entender o porquê. Eles são simplesmente fantásticos! Sua arte é de uma aura diferente de tudo!


Ufa!
I think I fell so much better now!
Espero que estes sites possam deixar o coração de todos mais leve nessa sexta feira, e que o fim de semana seja cheio de aventuras, festas, cores, doces, montanhas falantes, animais extraordinários, pássaros, doce de leite com queijo, goiabada e lazanha!

VMA 2009

E aí? Já votou nos seus favoritos do VMA 2009? A lista com os indicados foi divulgada no último dia 4, marcando o início do período de votação dos internautas. Além das 14 categorias já conhecidas, teremos uma nova: "Melhor Vídeo que Deveria Ter Levado o Astronauta Prateado". Ela é como uma segunda chance para os clipes mais antigos, que não levaram o prêmio quando foram lançados. O público vota em seus indicados favoritos, exceto nas categorias técnicas, através do site do VMA, onde estão disponíveis os videoclipes que concorrem. A premiação será no dia 13 de setembro, na cidade de Nova York, e contará com apresentações de Muse, Green Day, Pink e Taylor Swift. Os apresentadores serão Katy Perry, Ne-Yo e Chace Crawford (de Gossip Girl). Confira, a seguir, os indicados.

Vídeo do Ano
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Lady Gaga - "Poker Face"
Eminem - "We Made You"
Kanye West - "Love Lockdown"
Britney Spears - "Womanizer"

Artista Revelação
Lady Gaga - "Poker Face"
Drake - "Best I Ever Had"
3OH!3 - "Don't Trust Me"
Kid Cudi - "Day N' Nite"
Asher Roth - "I Love College"

Melhor Vídeo Masculino
Eminem - "We Made You"
Kanye West - "Love Lockdown"
Jay-Z - "D.O.A. (Death of Auto-Tune)"
T.I. feat. Rihanna - "Live Your Life"
Ne-Yo - "Miss Independent"

Melhor Vídeo Feminino
Katy Perry - "Hot 'n' Cold"
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Kelly Clarkson - "My Life Would Suck Without You"
Lady Gaga - "Poker Face"
Taylor Swift - "You Belong With Me"
Pink - "So What"

Melhor Vídeo de Hip Hop
Eminem - "We Made You"
Kanye West - "Love Lockdown"
Jay-Z - "D.O.A. (Death of Auto-Tune)"
Asher Roth - "I Love College"
Flo Rida - "Right Round"

Melhor Vídeo de Pop
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Lady Gaga - "Poker Face"
Britney Spears - "Womanizer"
Cobra Starship feat. Leighton Meester - "Good Girls Go Bad"
Wisin y Yandel - "Abusadora"

Melhor Vídeo de Rock
Coldplay - "Viva la Vida"
Kings of Leon - "Use Somebody"
Green Day - "21 Guns"
Fall Out Boy - "I Don't Care"
Paramore - "Decode"

Melhor Coreografia
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Britney Spears - "Circus"
Ciara feat. Justin Timberlake - "Love Sex Magic"
AR Rahman & Pussy Cat Dolls feat. Nicole Scherzinger - "Jai Ho! (You Are My Destiny)"
Kristinia DeBarge - "Goodbye"

Melhor Direção
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Lady Gaga - "Paparazzi"
Green Day - "21 Guns"
Cobra Starship feat. Leighton Meester - "Good Girls Go Bad"
Britney Spears - "Circus"

Melhor Edição
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Britney Spears - "Circus"
Miley Cyrus - "7 Things"
Coldplay - "Viva la Vida"
Lady Gaga - "Paparazzi"

Melhor Efeito Especial
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Gnarls Barkely - "Who's Gonna Save My Soul"
Lady Gaga - "Paparazzi"
Eminem - "We Made You"
Kanye West feat. Mr Hudson - "Paranoid"

Melhor Cinematografia
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Coldplay - "Viva la Vida"
Lady Gaga - "Paparazzi"
Green Day - "21 Guns"
Britney Spears - "Circus"

Melhor Direção de Arte
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Britney Spears - "Circus"
Lady Gaga - "Paparazzi"
Gnarls Barkley - "Who's Gonna Save My Soul"
Coldplay - "Viva la Vida"

Melhor Clipe Novo
Death Cab for Cutie - "Grapevine Fires"
Gnarls Barkely - "Who's Gonna Save My Soul"
Cold War Kids - "I've Seen Enough"
Anjulie - "Boom"
Chairlift - "Evident Utensil"
Bat for Lashes - "Daniel"
Major Lazer - "Hold the Line"
Passion Pit - "The Reeling"
Matt & Kim - "Lessons Learned"
Yeah Yeah Yeahs - "Heads Will Roll"

Melhor Vídeo que Deveria Ter Levado o Astronauta Prateado
U2 - "Where the Streets Have No Name"
Dr. Dre - "Nuthin' But a 'G' Thang"
Beastie Boys - "Sabotage"
Björk - "Human Behavior"
Radiohead - "Karma Police"
George Michael - "Freedom"
Foo Fighters - "Everlong"
Tom Petty and the Heartbreakers - "Into the Great Wide open"
OK Go - "Here It Goes Again"
David Lee Roth - "California Girls"

O Senado e sua crise

Se você acessar um portal de notícias, ligar a TV ou o rádio, já adianto o que você vai ver: um avião caiu ou sofreu pane, a gripe suína fez mais uma vítima e o Senado...bem, continua com sua crise. Acho curiosa essa crise do Senado, pois assim como seu vizinho - a Câmara dos Deputados, que nesse meio tempo teve uma folguinha maior de denúncias - a "crise" é constante. Na verdade, penso que o Congresso só vai ter crise no dia em que não haver a "crise".

Sarney, Sarney...o bigodinho escovado faz falcatrua não é de hoje como bem sabemos. Passou por diferentes governos nesses últimos séculos e continua sempre em cargos privilegiados (e sim...também sua filha, seus netos, genros, papagaios etc e etc). Tem em mão os meios de comunicação dos seus grandes latifúndios como o Maranhão, tem uma filha na política que também é picareta e por aí vai. Mas, parece que agora o "império" desse elemento está para ruir...como comentei no blog do ex-jornalismo CRIA, Pedro Nogueira, é muita ganância e falta de amor próprio desse presidente do Senado. Dinheiro, poder, isso ele já tem de sobra...ficar em exposição dessa maneira para manter o cargo vale a pena desse tanto?

Pelo menos teve o bate-boca entre Simon, Collor e Renan Calheiros para alegrar um pouco esse cenário monótono e que começa aos poucos ser desvendado. Olha só...Collor, Renan Calheiros...minhanossasenhoradabicicletinha! Depois me falam do Sarney...um sai por impeachment da presidência da República, o outro já foi presidente do Senado e renunciou por corrupção também...a tal crise do Senado vai acabar aí? Depois que Sarney cair - sim, vamos ter fé! - mais algum pilantra vai entrar em evidência e o ciclo do noticiário ali em cima descrito vai continuar...aliás, quanta falta de criatividade desses jornais hein? Qualquer noticiário que você ver são as mesmas coisas. Depois pretendo escrever sobre isso. Terminando para não prolongar muito, pretendo ver o desdobramento desse post do jornalista Luís Nassif.

Observação final: nesse bate-boca aí entre os excelentíssimos senadores me aparece o tal do Wellington Salgado (PMDB-MG) que antes de abrir a boca deveria cortar aquele cabelo...que falta de decoro parlamentar!Coisa horrorosa!

Desenhos da minha vida - Parte II

Dando continuidade ao post de ontem, vou falar hoje de um desenho que mostrava um adolescente meio estranho, que vivia em um mundo próprio: DOUG FUNNIE.

Doug foi um dos primeiros desenhos produzidos pelo canal de TV paga Nickelodeon. Pouca gente sabe que ele foi idealizado para ser um livro que não foi para frente (Doug got a new pair of shoes). Então o seu criador, Jim Jinkins, entrou em contato com o canal e o desenho estreou em 1991, tendo quatro temporadas (52 episódios) sob o comando da Nick.

Os episódios foram produzidos até 1994. Então, quando todo mundo pensava que Doug tinha acabado, a Disney foi lá e produziu mais três temporadas. Claro que algumas mudanças ocorreram, mas nada que prejudicasse a série. A Disney ainda produziu um filme: “Doug’s 1st movie”.

Eu lembro de ter assistido o desenho pela primeira vez na TV Cruj.Aliás, eu já falei o tanto que a TV Cruj marcou minha infância, por isso Doug é tão importante para mim. Ir para a frente da televisão todas as noites e assistir Doug, Skeeter, Patti Maionese e Costelinha era impagável.

Mas o mais legal de toda a série era a imaginação de Doug. Para mim, as melhores cenas eram quando ele se imaginava de Homem Codorna. Ao lado do seu fiel companheiro, o Cãodorna (o Costelinha), ele enfrentava vários vilões para conquistar a Patti.

Aliás, o Costelinha era uma atração à parte. Um dos cachorros mais inteligentes da história dos desenhos animados. Ele dança, sapateia, ouve música, entende o Doug, enfim, quase um super-cão. Além dele, outra personagem que eu achava fantástica era a irmã do Doug, Juddie Funnie. Ela era metida a atriz e sempre estava interpretando um papel dramático.

Enfim, Doug fez parte da minha vida de uma forma surpreendente. Só não comecei a escrever um diário igual ele fazia por preguiça, mas juro que me deu muita vontade. E minha criatividade voava longe quando eu asistia...



Acompanhe a série completa: Desenhos da minha vida - Parte I, Desenhos da minha vida - Parte III, Desenhos da minha vida - Parte IV e Desenhos da minha vida - Parte V

Desenhos da minha vida - Parte I

Semana de férias, nada esquematizado para o Sem Pauta nessa semana. Ou seja, tenho a semana inteira para fazer o que eu quiser aqui. Então vou fazer uma semana com postagens especiais. E nada melhor para coroar isso do que um top 5 de desenhos que marcaram a minha vida. E como é um top 5, ele é completamente pessoal, não havendo uma hierarquia entre eles.

Para começar, nada melhor do que o desenho que eu mais assistia quando tinha 10/11 anos e que voltei a assistir recentemente: POKÉMON.



Tudo começou em 1996, quando Satoshi Tajiri e Ken Sugimori apresentaram a ideia de um jogo para os poderosos da Nintendo. Era uma coisa simples, porém altamente interessante: capturar e colecionar “Monstros de bolso” e poder trocá-los com os amigos através do Game link do Game Boy.

Com a ideia elementar em mãos, eles foram aconselhados por Shigeru Miyamoto (o pai do Mario, do Zelda) a aprimorar o projeto. Dois meses depois o jogo estava pronto. O começo foi lento, mas logo ele virou febre entre os japoneses. Pokémon Green & Red foi um dos jogos mais vendidos no ano de 1996, posteriormente chegando ao ocidente.

Porém só o Game Boy era pouco. Os Pokémons queriam dominar o mundo e, em 1999, começaram a investir em um anime dos monstrinhos. Nem precisa falar o sucesso e a projeção que a série teve. Os pobres garotinhos que não tinham Game Boy podiam, enfim, entrar em contato com o mundo dos Pokémons.


A dinâmica do anime é simples e não mudou muito nas 12 temporadas. Ash é um garoto da cidade de Pallet que está tentando se tornar o maior mestre Pokémon do mundo, ao lado do seu inseparável Pikachu. Para conseguir isso, ele conta com a ajuda dos pokémons que ele captura e dos seus amigos. E tem os vilões, lógico: a atrapalhada equipe Rocket.

Apesar da história ser basicamente a mesma, o anime evoluiu bastante nesses últimos 10 anos. As batalhas ficaram cada vez mais dinâmicas, os efeitos melhoraram bastante e o Ash está realmente se tornando um grande treinador. Além disso agora existem batalhas em duplas, desafios de coordenadores Pokémon. Enfim, o anime não é um monstrinho, mas também evoluiu. [/piadinha infame]

Eu resolvi baixar todas as temporadas para assistir. Já vi 370 episódios, mas como são mais de 600, na minha próxima vida eu acabo de assistir tudo. Mas ainda falta decorar o nome dos 493 pokémons...



Acompanhe a série completa: Desenhos da minha vida - Parte II, Desenhos da minha vida - Parte III, Desenhos da minha vida - Parte IV e Desenhos da minha vida - Parte V