E o Oscar foi para... (parte 2)

Gente, como falar do Oscar sem falar do Red Carpet? E alguém liga para quem levou as estatuetas para casa? Todo mundo quer é saber quem usou o quê! E para isso, venho preencher as lacunas do post anterior, com alguns dos mais belos vestidos da cerimônia. A escolha foi feita por mim, tendo assim garantia de total parcialidade. ;D

And the Oscar goes to...

1. O casal Brad Pitt e Angelina Jolie é indecente de bonito. Angelina está em um vestido Elie Saab, lindo. E alguém me diz, tem como essa mulher ficar feia?

2. Sarah Jessica Parker está MARA com seu vestido Dior. SJP é SJP. Musa.

3. Anne Hathaway, sempre linda, de Armani Privé bordado de paetês e cristais Swarovski.

4. Natalie Portman em seu Rodarte rosa-chiclete.

5. Marion Cotillard em um vestido Christian Dior Haute Couture.

6. Penelope Cruz com um vestido Pierre Balmain.

7. Frieda Pinto em um John Galliano azul.

8. Amy Adams em um vestido vermelho Carolina Herrera.

Então, no seu próximo red carpet (rá!), não se esqueça: off-white é o novo preto; ombros à mostra ahazzam; coques são sempre recomendados. Jóias? Vale a fala de Anna Wintour: "Nada muito Dubai." Mas um belo statement necklace não faz mal à ninguém.

[É claro que a autora liga para quem ganhou, a frase do primeiro parágrafo foi só para dar ênfase ao tema central do texto. Cinéfilos, não me persigam e nem façam bonequinhos de voodoo em minha 'homenagem'.]

E o Oscar foi para...

Ontem foi a noite de gala do cinema americano: a premiação da Academia, vulgo Oscar. Algumas pseudo-surpresas, um campeão de troféus e uma quase decepção, além de algumas homenagens e momentos emocionantes.

Diferentemente dos últimos anos, a cerimônia não foi apresentada por um comediante. O dono da festa foi Hugh Jackman, o Wolverine dos filmes dos X-Men. E ele mandou bem: cantou, dançou e fez piadas em uma premiação bem mais dinâmica e diferente: o Oscar de cara nova para tentar recuperar a antiga audiência.

Partindo para o que interessa, vamos aos felizardos da noite.

O filme Quem quer ser um milionário? (Slumdog Millionaire), que havia recebido 10 indicações, saiu de lá com 8 estatuetas: Melhor Filme, Melhor Diretor (Danny Boyle), Melhor Roteiro Adaptado (escrito por Simon Beaufoy e baseado no romance de Vikas Swarop), Melhor fotografia, Melhor edição (montagem), Melhor Mixagem de Som, Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção Original (Jai Ho).

Com 13 indicações, O Curioso caso de Benjamin Button decepcionou e levou apenas 3 estatuetas para casa: Melhor direção de arte, Melhor Maquiagem e Efeitos Especiais (ou Efeitos visuais).

Milk, que participou da disputa por 8 estatuetas, levou as de Melhor Ator (para Sean Penn) e Melhor Roteiro Original (escrito por Dustin Lance Black).

O Leitor venceu em uma das suas cinco indicações: Melhor atriz para Kate Winslet.

Penelope Cruz venceu o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante por seu papel em Vicky Cristina Barcelona. E o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante foi para o falecido Heath Ledger por seu Coringa em Batman - O Cavaleiro das Trevas. Com certeza um dos momentos mais emocionantes da noite. Com este prêmio, Ledger se tornou o segundo ator a receber um Oscar Póstumo - o primeiro foi Peter Finch, que levou o prêmio de Melhor Ator em 1977 por sua atuação em Rede de Intrigas.

O filme do Homem-Morcego levou para casa também a estatueta de Melhor Edição de Som, enquanto o prêmio de Melhor Figurino foi entregue ao filme A Duquesa. Já o simpático robozinho Wall-E era franco favorito e não decepcionou: levou a estatueta de Melhor Filme de Animação.

O japonês Departures (Okuribito, no original) levou para casa o prêmio de Melhor Filme Estrangeiro. Man on Wire venceu o Oscar de Melhor Documentário enquanto Smile Pink levou o de Melhor Documentário em curta metragem. Spielzeugland (Toyland) foi eleito o Melhor Curta-Metragem e o francês La Maison en Petits Cubes venceu como o Melhor Curta-metragem de Animação.

E o homenageado da noite, que recebeu o Prêmio Humanitário Jean Hersholt, foi Jerry Lewis, um dos mais antigos e importantes comediantes estadunidenses.

Este foi o Oscar 2009. Concorda com os vencedores ou acha que seu favorito foi injustiçado?

O que fazer no Carnaval?


Ah, o Carnaval. Um feriado maravilhoso, de muita alegria, diversão, descontração, luzes, cores, música, dança, enfim, o feriado mais esperado de todos. Ainda mais no Brasil, conhecido por suas festas e seus desfiles de escolas de samba. A população, em geral, já começa a planejar o carnaval bem cedo, para curtir ao máximo a festa. Em geral.

Sempre tem aqueles jilós de janta tristonhos, que sobram em casa ou porque não gostam do carnaval, ou porque não têm para onde ir, ou porque - como eu - adoeceram e tiveram que recusar uma ótima proposta carnavalesca. Então, se você está no mesmo barco que eu e vai criar raízes no seu quarto, alegre-se! Você encontrou um guia para ser feliz no conforto de sua casa, nesse feriado que nem é lá grandes coisas. Aham.

Primeiro pesadelo de quem fica em casa: nada funciona. Isso é uma generalização apressada! É claro que muitas coisas não funcionam, já que existem pessoas que têm vida e vão aproveitar o carnaval em algum lugar nesse mundão gigante, sô. Maaaaas, alguns lugares abrem, sim senhor! Shoppings abrem. Tudo bem que suas lojas não precisam funcionar no domingo e, de fato, não funcionam segunda e terça. Mas você pode aproveitar a praça de alimentação, se não for uma shopaholic apaixonada por vitrines. Hospitais, feira livre (oi?), o mercado central e o parque municipal 'abrem', com restrições de horário. O comércio só fecha na segunda e terça. É, esses serão os dias mais chatos, do tipo tranque-se em casa e arrume algo para dazer aí mesmo!

E, para dias assim, que deixo a lista dos '9 melhores sites paa perder o seu tempo neste carnaval!' Porque não há nada como admitir que seu feriado será um lixo e se jogar na internet! Bom, vamos aos sites:

- Factory Balls²: Joguinho que descobri hoje mesmo, em uma conversa no MSN. De cara, senti que ele seria meu companheiro nesse feriadão. Com uma musiquinha tensa ao fundo, você tem que reproduzir bolinhas. Idiota, mas bom para ocupar o tempo.

- Krazy Keyz: Outro jogo, que minha amiga me recomentou quando eu disse que PRE-CI-SO aprender a digitar sem olhar para o teclado.

- Shelfari: só para não se sentir muito inútil e posar de intelectual que lê horrores! Perca horas do seu dia procurando seus livros e séries favoritas. Não se esqueça de atualizar o site quando terminar de ler algum livro e começar outro!

- Twitter: Não conhece o twitter? Em que mundo você vive, seu alien? O twitter é um lugar maravilindo para colocar para fora seus anseios, frustrações, compartilhar alguma coisa legal com seus amigos ou, simplesmente, falar abobrinha. Por lá, você ainda pode acompanhar bate-bocas entre famosos, como o ocorrido entre Lily Allen e Perez Hilton, tudinho através de seus respectivos twiters, bastava adicionar os dois.

- Blip.fm: Ah, esse site é uma maravilha do mundo muderno, minha gente! Construa uma rádio pessoal com suas músicas favoritas! Adicione pessoas com gostos semelhantes e descubra bandas do seu agrado. Fique pop ao receber 'props' de outros usuários. Esse site é diversão garantida, gallerë!

- The Sartorialist: Taí um blog útil! Moda real, pessoas reais. Descubra o que as pessoas estão realmente usando.

-Wishlistr: exercite seu lado consumista e construa uma lista de tudo o que você quer. Assim, as pessoas não vão mais ter aquela velha desculpa do 'não sabia o que comprar resolvi te dar esse pregador de roupa'.

- Coquelux: aproveitando que já acendemos o fogo do consumismo, se jogue nesse clube fechado de compras maravilhoso com descontos ótimos e produtos diversos e exclusivos. Dentre as últimas vendas estavam uma coleção de camisas feitas por Marcelo Sommer, da grife Do Estilista, especialmente para os consumidores do site, e os mais finos azeites da Oliviers&Co. Próximas compras? Lancôme. Isso se você conseguir um convite, é claro.

- Big Bosta Brasil: Para terminar a listchééénha, esse blog MARA, aprovado pelo Pedro Bial, sobre a casa mais vigiada do Brasil. Já que você vai passar suas noites jogado na poltrona da sala, comendo frituras e assistindo o BBB 9, aproveite o resto do dia para saber o que, de fato, aconteceu de importante na casa. Não se prenda à edição da Globo e fique de olho nesses comentários pertinentes e bem humorados, sabendo de todas as fofocas em primeira mão! Até para quem não está assistindo e se acha 'superior a essa manipulação neocapitalista toda', vale a visita.

Com essas dicas, o seu carnaval será acima que quaisquer expectativas. Melhor que o de todos os seus amigos. Melhor que os de todos os anos anteriores. Ou isso, ou o seu dinheiro de volta!

* A autora desse texto não vai viajar no carnaval e está um pouco amarga por isso. E daí, ela nem queria fazer nada no Carnaval mesmo...

Casamento sem lua de mel


Aécio + governo de Minas + alto índice de aprovação = credencial para ser presidente em 2010
Pimentel + prefeitura de BH + alto índice de aprovação = credencial para ser governador em 2010
Aécio + Pimentel = prefeitura de BH com Márcio Lacerda

A equação de Lacerda na prefeitura deu certo. Mas, como sabemos a política está muito longe de ser uma ciência exata. A "prefeitura da aliança" que consistia em um candidato único de PT e PSDB - coisa inimaginável em âmbito nacional - teve várias explicações. Pimentel afirma até hoje que o risco do PT perder a prefeitura (que governava há 16 anos) era claro. Será? Quintão com um jóia quase conseguiu ruir o projeto...

O fato é que as coisas não andam nada boas para os dois lados. Pimentel está sendo atacado pelo diretório estadual e não conta com a simpatia de Patrus Ananias (ministro do Desenvolvimento Social e ex-prefeito de BH) e Luiz Dulci (secretário-geral da Presidência) que são fortes lideranças do PT nacional e mineiro. Na entrevista à Veja de 11 de fevereiro chegou a dizer que os dois foram levados "de roldão por um setorzinho xiita de Minas". Além disso, o PT tem perdido alguns cargos estratégicos para o PSDB dentro da prefeitura mineira.

Já Aécio levou um duro golpe. Geraldo Alckmin que é "desafeto" de Serra entrou na sua equipe de governo...a "oposição" paulista agora está junta. Ponto para Serra que se fortalece para ser o nome do partido em 2010.

Com todas as pressões em cima de Pimentel (que agora deve assumir algum ministério no governo Lula) a lua de mel por conta da vitória de Lacerda teve sua primeira crise. Veja bem, mal começou o ano e nessa mesma entrevista à Revista Veja ele diz que Aécio é uma carta fora do baralho para a disputa presidencial. Que Aécio pressionará as prévias no seu partido, mas só para garantir espaço..."o jogo está definido no ninho tucano". E ainda por cima tenta provar por A+B que Dilma é a melhor escolha, e ele fará de tudo para que ele seja eleita. Agora, quanto ao Palácio da Liberdade sua disputa será com Patrus. O certo, é que atualmente ele está enfraquecido.

Aécio, meio perdido nisso, ganhou apoio do presidente do Senado...o velho Sarney (PMDB). Diz Sarney que ele não pode ficar contra Aécio, pois isso seria ficar contra Tancredo. Puxa-saquismos de lado, é díficil Aécio ir para o PMDB. Mas não subestimemos (com um sotaquezinho carioca) nosso governador...formado em casa para ser político, bom orador e grande articulador, ele pode aprontar alguma ainda.

E ele sabe...nada de equações. Política está mais para futebol que qualquer outra coisa (tirando a paixão). Interesses, negociações e reviravoltas... a famosa "caixinha de surpresas". É esperar e ver a próxima jogada.

Prática medieval que persiste.

Com o início do período letivo, já temos alguns temas-padrão que sempre retornam ao nosso dia-a-dia. O transito volta a ser caótico e insuportavelmente lento nos horários de pico. As papelarias anunciam descontos espetaculares nas listas de materiais, tentando atrair quem ainda não fez suas compras. Algumas lojas, e até mesmo shoppings, fazem liquidações relâmpago de encher os olhos de qualquer shopaholic. Infelizmente, também tomamos conhecimento de diversos casos de violência. Não a violência normal, medo íntimo de todo cidadão brasileiro que põe os pés para fora de casa. Como se essa violência não bastasse, somos colocados em contato com violências nas universidades, praticadas por estudantes imaturos.

Fevereiro mal começou, e já traz casos bárbaros estampados nas telas de TV e nas notícias de jornais. Estudantes que tiveram seus corpos queimados por produtos químicos, humilhação pública, coma alcoólico somado a ferimentos pelo corpo causados por chicotadas e pontapés, alunos sendo obrigados a rolar em lonas cheias de excrementos e animais em decomposição. Essa é a imagem que uma parte dos estudantes têm de uma recepção amistosa a seus colegas de curso. Sim, quem poderia desejar uma recepção mais simpática? Aposto que Edison Tsung Chi Hsueh se divertiu horrores, dez anos atrás, enquanto era afogado. Quando morreu, então, deve ter sido um momento sublime. Mas, felizes mesmo, estão os veteranos que lhe mataram. Primeiro motivo: estão vivos; é tão fácil morrer, hoje em dia, não é, Edison? Ah, você não pode me responder, porque foi A-S-S-A-S-S-I-N-A-D-O. Segundo: porque, em 2006, foram absolvidos pelo STJ; que beleza é a vida, não é mesmo? Fazer o que se deseja e sair impune, mesmo que custe a vida de outrem, quer coisa melhor?

Se a culpa dos trotes violentos não é dos estudantes, de quem é então? Das instituições de ensino, por serem pouco rígidas quanto a essa questão e por não punirem os culpados. Punir? Essa também é a função da Justiça, meu Brasil. Então, a Justiça também é culpada. Mas isso não inocenta os animais responsáveis por trotes desumanos, não lhes tira a culpa.

O trote universitário é uma prática medieval, que data do ano de 1342, na Universidade de Paris. Em 1492, na Alemanha, alunos tinham os rostos esfolados, tinham que comer fezes de animais, bebiam vinho com urina e juravam repetir o 'ritual' com os próximos que entrassem na Universidade Heidelberg. Nojento? Cruel? Considerando-se os padrões de higiene e de violência da época, essas práticas são iguais às que pipocaram na mídia neste ano. A selvageria medieval continua.

Em meio à tamanhas demonstrações de imaturidade e demência, por parte de pessoas que, por conseguirem entrar em uma instituição de ensino superior, deveriam apresentar algum tipo de inteligência, vemos também pessoas lúcidas. Nem todos os trotes são assim. Muitos trotes, de fato, promovem uma certa integração entre os estudantes antigos e novos no curso, permitindo que os desinteressados não participem, sem nenhuma consequência futura. Minha experiência pessoal contou, sim, com muita sujeira, com pés descalços no asfalto, para pedir dinheiro. Mas isso acabou trazendo uma integração com meus colegas de curso e, posteriormente, com meus veteranos, enquanto nos divertíamos às custas do dinheiro conseguido no sinal.

Existem também os Trotes Solidários. Ao entrar na Universidade Federal de Minas Gerais, foi feito um no curso de Comunicação, pela CRIA UFMG Jr. Atividades como o bingo humano me fizeram conhecer alguns colegas de curso e professores, enquanto uma arrecadação de alimentos foi promovida, beneficiando uma Instituição que precisava de ajuda.

A barbárie depende de quem a comanda. Cabe a quem planeja o trote decidir se quer ser reconhecido como exemplo de inteligência e maturidade, por pensar uma ação de integração e, possivelmente, de solidariedade, ou se quer aparecer nos jornais como criminoso e, até mesmo, como assassino.

O pica-fumo

Confesso que lembrei agora que estava na escala para escrever no blog. A vontade de dar aquele famoso migué foi grande...mas como burlar o sistema que você mesmo propôs e depois querer cobrar dos outros?

Isso é a arte de ser um pica-fumo. Que fique bem claro, não sou adepto de tal prática! Ainda que existam várias definições, o conceito de um pica-fumo em questão é do sujeito que tá sempre ali...levando, tranquilo, na boa. Algo como um picareta em um estágio mais elevado. É o cara que finge trabalhar (estes costumam ser bastante reconhecidos por seu "trabalho" e alçar cargos de chefes futuramente), que assina a lista de presença e sai saindo, que marcam compromissos e nunca chegam no horário - "o trânsito estava ruim, né?"...sempre deixa o que tem pra fazer para um pouco depois. (a lista é gigantesca, são apenas alguns exemplos)

Além disso, é um cara referência para algumas coisas. Apesar de não fazer muito esforço, ele sempre sabe de tudo e é a central de notícias. Sua arte maior é sentar em algum lugar e contemplar o movimento local, fazer suposições e tirar algumas conclusões. É um trabalho de grande seriedade e de utilidade pública.

Quem não tem um conhecido pica-fumo?No núcleo de Jornalismo, por exemplo, o estimado membro Gabriel Braga é o adepto mais visível dessa arte. Em uma situação dessas, de não querer escrever no blog, ele simplesmente não escreveria (por algum motivo "muito forte" obviamente)...ou quando muito, após muito esforço acharia um vídeo no Youtube e postaria aqui. E a essa hora ele deve estar na praia...contemplando o movimento.

O Moleskine.

Mais um momento de cultura muito útil, sim senhor, com a Anna! Hoje, vamos aprender sobre o Moleskine. Mas, o que diabos é isso?

Moleskine é uma marca de cadernos de anotações, feitos pela Moleskine SRL, uma empresa italiana. Tudo bem, muita gente escreve e precisa de algum lugar para isso. Ok. E porque o post não foi sobre a Tilibra?

O Moleskine foi criado a partir de descrições dos cadernos de anotações usados por grandes artistas e pensadores europeus, como Picasso, Van Gogh, Hemingway e Bruce Chatwin. Eram pequenos cadernos de capa preta, com bordas arrendondadas, um elástico para mantê-los fechados e um bolso interno. Em 1986, no entanto, os últimos fabricantes do caderno interromperam a sua produção em Tours, com a morte do proprietário.

Em 1998, os cadernos de notas foram relançados pela editora italiana Modo & Modo. Ainda que o nome remeta ao tecido moleskin, o caderno possui uma capa de cartão revestida por um material impermeável. A lombada é costurada, permitindo uma abertura de 180º. O papel é acid-free, o que impede que ele fique amarelado. As outras características também remetem aos cadernos antigos em que foram inspirados. Em 2006, a Modo & Modo procurou alguma empresa que com ela se associasse ou que a comprasse, pois não dava conta dos pedidos. Ela foi adquirida por um fundo de investimentos francês por 60 milhões de euros.

Atualmente, existem vários modelos disponíveis. Pocket notebooks, agendas, City Notebooks, versões com pautas, quadriculadas, lisas, de capas pretas, coloridas, enfim, podem ser encontrados Molesquines que se adequam a todos os gostos e necessidades, impressos na China, mas montados e costurados na Itália.

O Moleskine já teve suas aparições nas telonas também. A minha preferida é no filme The Devil Wears Prada (USA, 2006). Andy está sempre com o seu Moleskine, para anotar tudo o que Miranda lhe 'pede'. Outras aparições foram em Les Rivieres Pourpres 2 - Les Anges De L'apocalypse (France, 2004), Comme une Image (France, 2004), Le Fabuleux Destin d’Amélie Poulain (France, 2001), The Son's Room (Italy, 2001), Shall we dance (USA, 2004), National Treasure (USA, 2004), K-Pax (USA, 2001), The Talented Mr. Ripley (USA, 1999) e Magnolia (USA, 1999).

No Brasil, esse mimo pode ser um pouco caro. Mas, gallerë, é um Moleskine! A folha de rosto dele já vem com um lugar para estipular a recompensa, caso seja perdido e encontrado por alguém. Daí já se tem uma ideia de que ele não é um caderno qualquer. Ele possui uma aura toda especial em torn de si. E vale o preço pago. Mas considere a opção de pedir para alguém trazer de fora, sai bem mais em conta.
Saiba mais
Moleskine
Fotos
Compre

Bônus ou não-Bônus?

[post originalmente escrito para o Sempauta.]

Ok, o primeiro-lugar geral do vestibular UFMG é uma ex-aluna do Colégio Militar. Não preciso esconder que eu tenha ficado feliz com isso, ou preciso?

Esse ano entraram em ação novos critérios de distribuição de pontos para vestibulandos, os tão polêmicos bônus. Funciona assim, se você cursou os últimos sete anos [três séries do Ensino Médio mais as quatro últimas do fundamental] em escolas públicas, você passa a ter direito a um acréscimo de 10% na sua nota. Se você se AUTOdeclara pardo ou preto, é agraciado com 15% a mais nas notinhas. Isso é certo ou errado?
Na minha opinião, o bônus pra escolas públicas é legal, apesar de paliativo. Nem preciso repetir aqui que a medida ideal pra melhorar o ensino brasileiro é investir na educação de base [ih, repeti!]. Mas a situação da educação chegou a um ponto em que não basta mais injetar bilhões nas primeiras séries porque os alunos que já passaram por elas ficam seriamente prejudicados. Alguma coisa pode ser feita por eles, e o bônus faz. De acordo com a última edição do Boletim da UFMG, o percentual de alunos de escolas públicas aprovados foi de 33 para 44,8%, uma melhorazinha boa.
É importante lembrar que isso não derruba o nível da universidade, como se alega por aí. Os alunos que estejam incluídos em qualquer critério de eliminação não recebem o bônus, portanto ele não 'passa' ninguém que já não tivesse condições mínimas de ser aprovado. E lembre-se: depois das notas eliminatórias, ainda tem a classificação, que, em certo aspecto, também aprova. Afinal, você tem que ser pelo menos o último colocado pra entrar, ou torcer por algumas desistências. Prova viva disso são os alunos do Colégio Militar. Uma escola pública fora dos padrões, com um ensino muito bao =D. A taxa de aprovados do CM não subiu nem desceu, não aconteceu nada de extraordinário por lá quanto ao número de aprovados. O que ocorreu foi que o bônus aumentou muito a nota da galera. Resultado: dos 40 aprovados do CMBH, 24 estão distribuídos entre primeiro e oitavo lugar nos cursos, além dos dois primeiros colocados em todo o vestibular (É honesto lembrar que esta lista inclui sete formandos de 2007). Milagre? Não, bônus =D
E o que aconteceu com alunos de outras escolas públicas que não o CM? Posso ser franco? Não sei dizer.

Agora eu acho uma bruta picaretagem essa história de bônus pra pretos e pardos. Eu sempre me declarei pardo, então não é dor de cotovelo. A desculpa aqui é que esses alunos teriam condições de ensino menos eficientes? PÉÉÉÉÉÉ [barulho de campainha]! Alunos de escola pública JÁ SÃO agraciados pelo bônus. Se eu sou negro e pude estudar em uma escola particular, ganhei um bônus de graça, com que justificativa? Isso não reduz o preconceito, só aumenta, é vergonhosamente assistencialista. Deixa a população negra mostrar que eles tem condições de concorrer num ambiente meritocrático tranquilamente, se expostos às mesmas condições de preparação! Prontofalei.

É isso. Obrigado.