Férias

Sim...elas chegaram aos membros desse núcleo. Depois de muitas provas finais na faculdade, diversas demandas na empresa, o glorioso dia chegou. Então, não perca seu tempo lendo muito...descanse!Esqueça os emails (também não é assim!de vez em quando dá uma olhadinha!), telefonemas com obrigações e horas marcadas.

Aproveitem! (logo, logo esse post estará obsoleto...)

A síndrome do bicho

Ah! Tempos modernos. Quem diria, hein? Hoje até os pinguins acompanham as tendências comportamentais da sociedade humana. Que o diga o casal gay da espécie que foi banido do zoológico onde habitava. Motivo: roubo de ovos. Isso mesmo. E o episódio teve até direito a passeata de grupos a favor dos direitos animais. Será que conseguiram fazer com que o julgamento fosse levado aos tribunais? Qual a setença para o casal? Culpado ou não?
Pois é...convivendo na mesma página da notícia sobre o parzinho de pinguins, vinha uma outra, desta vez sobre outra espécie. Gato com asma? Fácil de resolver! Só levar o bichano para uma sessão de acupuntura.
E por aí vai a série de apropriações de criações humanas para bichos. Cavalos com sorriso bonito? Não, não é propaganda da TV para cavalos. Essa tecnologia (ainda) naõ existe!!Mas um dentista só para equinos? Sim. Claro. Entretanto, se sua onda são animais de pequeno porte, você também pode contar com os serviços odontólógicos para cães.
Longe de mim questionar qualquer coisa, mas juro que preferia quando animal de estimação era aquele bichinho que você alimentava (e apertava ou irritava, no meu caso).

Uma câmera na mão e um site que não sai da cabeça

"Uma câmera na mão e uma idéia na cabeça". Será que quando Glauber Rocha – um dos pais do cinema brasileiro - pronunciou estas palavras tinha idéia da revolução audiovisual que viria a seguir? Penso que sim, penso que não. Tem gente que diz que hoje tá mais pra "uma idéia na mão e uma câmera na cabeça". Mesmo com alguns pensamentos pessimistas sobre a revolução e a enxurrada de sons e imagens que nos encharcam todos os dias, quer queiramos ou não, depois do incentivo do cineasta, muitos brasileiros tomaram coragem para investir na carreira, ou mesmo pra tirar suas idéias do papel. E por falar em tirar idéias do papel, foi exatamente o que um grupo de fotógrafos, cineastas e jornalistas fez. Não só tiraram da cuca, mas também enquadraram num projeto muito interessante, divertido e inusitado. O "Música de Bolso" é produto do trabalho de gente apaixonada por música; de gente cansada do convencional. É um projeto audiovisual que deseja registrar momentos diferentes de artistas diversos. Mas não é somente armazenar, e sim dissipar a cultura, pelo site, pelo Orkut, pelo blog e pelo boca-a-boca de quem canta e conta..... Acredite, não é apenas o registro de clipes. Não é simplesmente um cantor tocando para uma câmera (é mas não é..rs). Pra mim, é mostrar 'aquela' música de um jeito muito diferente, que talvez você nunca veria em outro lugar. Por enquanto, Vagalume, do Pato Fu é a minha preferida. Confere lá!


http://www.musicadebolso.com.br


Nodlig mhaith chugnat!

Agora você sabe como desejar Feliz Natal na Irlanda, diz o Flickr.

Dezembro está aí e você lembra de quê? Provas? Tá, lembra, mas não é isso. Viagens? Não, também não. Férias? Tá esquentando. Fim-de-ano? Passou! Ahhh, Natal. Sim, o Natal. Para os desinformados de plantão (que moram em outra galáxia, só pode!), o Natal é uma festa cristã comemorada no dia 25/12 pela Igreja Católica Romana, Igreja Anglicana e por certos grupos protestantes. A Igreja Ortodoxa comemora-o no dia 07/01. Ela celebra o nascimento de Jesus. Okay, até aí muita gente sabe. Mas essa festa tem algumas peculiaridades que não são muito difundidas no senso comum.

Por exemplo, a data. De onde veio esse 25 de dezembro? Quem disse que Jesus nasceu nesse dia? Bom, ao que parece, não nasceu. Em Lucas, 2:8-1, lê-se: "Havia pastores que estavam nos campos próximos e, durante a noite, tomavam conta dos seus rebanhos". Na época, a Palestina está passando pelo inverno, lá chove e neva. Um pastor simplesmente não poderia estar tomando conta dos rebanhos à noite, ao ar livre. No inverno, as ovelhas eram levadas para o aprisco. Então, definitivamente, o nascimento não foi nem em dezembro.

Mas então... porquê esse dia? Por volta do século IV, a Igreja Católica, insatisfeita com as comemorações pagãs regadas a orgias e bebidas do solstício de inverno, resolveu instituir o nascimento de Cristo no mesmo dia. Poucos dias antes, comemorava-se com trocas de presentes e festas a Saturnália, relacionada a Saturno. A Igreja visava, ao colocar o Natal no dia 25, adaptar as festividades que já aconteciam ao pensamento cristão, facilitando a conversão dos pagãos.

E o tal velhinho, aonde entra? Prá variar, no século IV (tudo acontece nesse século?), havia um bispo em Mira chamado Nicolau Taumaturgo - ainda bem que mudaram o nome dele. Enfim, esse bispo, que veio a ser canonizado pela Igreja, costumava ajudar as pessoas que estavam em maus lençóis, financeiramente falando, mas tudo no anonimato, na surdina. Isso foi sendo contado através das gerações e, em 1822, foi lançado um poema chamado A Visita de São Nicolau, por Clemente Clark Moore. Ele ajudou a difundir as características conhecidas desse gorducho, como o trenó, as renas e a chaminé que, diga-se de passagem, vem das tendas dos antigos lapões finlandeses, cuja entrada era no teto.

Onde entra a tão falada Coca-Cola? O cartunista americano Thomas Nast foi quem criou a imagem do Papai Noel de roupas vermelhas com detalhes em branco e o cinto preto, em 1886, para a revista Harper's Weeklys. Mais tarde, a Coca-Cola veiculou uma mega campanha publicitária que vestia o bom velhinho como imaginado por Nast, difundindo essa aparência do Nicolau.

E onde ele mora? O Noel mora na Finlândia, meu amigo. Porque acha que ele usa tanta roupa de frio? Para ser mais exata, ele mora na Lapônia, em uma cidade chamada Rovaniemi. Sua casa de verão auto-declarada é na Vila de Penedo (RJ), berço da colonização finlandesa no Brasil.

Okay! Quero escrever pro Papai Noel, como faz? Bom, o Papai Noel recebe, em seu escritório, mais de 700 mil cartas por ano, e isso é muita coisa prá ler. Mas, sério, acho que ele dá conta do recado, tem 364 dias à toa. Não desanime e mande seu pombo-correio (sim, ele aceita pombos). Se ele estiver ocupado em outras viagens, fala pelo site do escritório dele. Mas, se você é old-school, mande uma carta para:
Santa Claus Arctic Circle 96930 Rovaniemi Finland

Pronto! Agora, você tem uma cultura inútil beeeeem maior sobre o Natal. Hauskaa Joulua!

Uma partida de futebol por trás das cortinas

Nas andanças pela internet achei esse post sobre o mundo do futebol no blog "Pitacos e Relatos". Achei bastante interessante, e vale a pena conferir. Clique aqui
Não querendo generalizar ou acabar com as ilusões de alguns, mas o tema é pouco exposto em comparação às corrupções, por exemplo, da política brasileira.

O assunto me fez realmente parar para pensar. Nessa semana em que temos o anuncio de ingressos a valores absurdos para Goiás x São Paulo pela última rodada do Brasileiro, em que visitei o CT do Atlético Mineiro e conversei com garotos da base sobre o mundo atrás das quatro linhas (a convite do traíra e ex-jornalismo CRIA, Fábio Megale) e que me fez relembrar algumas conversas que já tive a respeito com profissionais do futebol.

Os torcedores enfrentam filas, pegam ônibus, torcem por jogadores que estão ali, as vezes sem nenhuma identificação, fazendo figura. Futebol é negócio, ponto. Como vários e vários outros ramos, o dinheiro é quem comanda. Nessa visita ao CT do Atlético, a certeza dessa cultura foi expressada pelas palavras de um jogador do juvenil: "Nós somos a mercadoria, um produto. Temos que nos cuidar para que alguém nos compre".

E é isso. Podem falar de falta de amor a camisa, de paixão e etc, mas os jogadores também têm que garantir o seu. Eles estão na trama de diretores de futebol, de empresários, cada um querendo garantir a sua fatia do bolo. E como pedir para um jogador de origem pobre para amar o clube em detrimento de boladas de dinheiro que o seduzem para o exterior? (E claro, os que chegam a esse ponto de grandes contratos são poucos).

Um experiente treinador que já dirigiu vários clubes mineiros e grandes clubes brasileiros afirmou certa vez que a sujeira é grande, mas que tudo fica por trás das cortinas. Ele já viu nos clubes em que passou dirigente comprar juiz, desvios de dinheiro, clubes serem rebaixados enquanto os jogadores só pensavam no próximo contrato em outro clube.

E o torcedor nisso? O que faz? O futebol é emoção, é parte de discussões e de rivalidades. Acreditar que tudo isso de certa forma é manipulado (inclusive resultados) parece ser doloroso...evitar pensar no tema talvez seja mais fácil. Ainda há esperança, há ícones como Marcos do Palmeiras ou Rogério Ceni do São Paulo. O estádio cheio, uma partida disputada, uma vitória suada...não há o que pague isso. Entretanto, com ingressos a 400 reais para diminuir prejuízos de clubes mal administrados, a coisa parece ficar cada vez mais preta!Ahh se a moda pega!

O "espírito" (de vendas) natalino

Mal mal começa dezembro e o Natal já vira tema obrigatório, seja nas decorações de ruas, casas, lojas ou nas notícias e no próprio espírito das pessoas. Na verdade, tudo isso agora começa mesmo ao início de novembro. E vira sinônimo de festa, de férias, de desculpa para as pessoas comprarem mais. Mas o que eu fico me perguntando é: até que ponto esse “espírito” natalino não virou só mais uma desculpa para aumentar as vendas e para as pessoas descarregarem suas consciências pesadas pregando a união (que na verdade se refere à reunião e preocupação em emperequetar a casa e mostrar para os outros)?
Procurando por aí temas sobre os quais poderia escrever para o blog, esbarrei em um título de notícia que dizia “Papel higiênico temático é sugestão para receber bem no Natal”. Isso mesmo, entre outras dicas de especialistas sobre como decorar com “charme” sua casa para receber convidados no Natal, havia a indicação de um papel higiênico com desenhos natalinos. O preço? R$23,00. Sim, isso para um ROLO DE PAPEL HIGIÊNICO!
Aí eu, participando da campanha de adoção de cartinhas do Papai Noel, penso: porque não gastar os mesmos R$23,00 com um brinquedo para uma criança? Ainda que isso seja mais uma ação pontual, para aliviar a consciência pesada de uma maioria que não pratica nenhum ato do gênero durante o ano inteiro, é muito mais válido etem muito mais a ver com o verdadeiro “espírito” natalino. Mas não!Vamos todos gastar com o papel higiênico decorado, porque isso é sinônimo de receber “bem” os convidados e demonstrar que naquela casa as pessoas seguem o “espírito” natalino. O que parece é que quem se dispõem a seguir dicas desse tipo está precisando mesmo utilizar muito papel higiênico. Principalmente para limpar a própria cabeça.

Números do fim do mundo:

Santa Catarina: 116 mortos
78 mil desabrigados
30 desaparecidos

Tailândia, em 30 de novembro: 52 feridos na explosão de uma granada

Índia, última contagem: 195 mortos
295 feridos

Iraque, 01 de dezembro: 29 mortos em atentados a bomba
pelo menos 75 feridos

Tenho ficado bastante preocupado ultimamente. As coisas têm acontecido todas ao mesmo tempo. Não que nenhuma delas acontecesse antes, mas certamente a visibilidade e frequência estão mais e mais explícitas. Seja o que Deus quiser e que Obama nos salve de um futuro mais nefasto [até parece].